Prática psicológica em hospitais: por que preparar equipe e paciente?

“A integração da equipe de saúde é imprescindível para que o atendimento e o cuidado alcance a amplitude do ser humano, considerando as diversas necessidades do paciente e, assim, transcendendo a noção de conceito de saúde, de que a ausência de enfermidade significa ser saudável”. (FOSSI, GUARESCHI, 2004, p. 31)

O desenvolvimento de uma vida saudável não está pautada apenas em ausência de enfermidade, mas sim em um bem estar integral, o que engloba saúde física, emocional e psicológica, por exemplo. 

O trabalho no ambiente hospitalar exige que todos os procedimentos sejam realizados com garantias de qualidade, humanização e que, de fato, atenda todas as singularidades do paciente.

Sabendo disso, o preparo psicológico nos hospitais é imprescindível. O Psicólogo Hospitalar atua através de um conjunto de ações terapêuticas, capaz de evitar, prevenir e reduzir os riscos à saúde mental. 

Para que as necessidades dos pacientes hospitalizados sejam atendidas integralmente, é necessário contar com uma equipe multidisciplinar – o que envolve diferentes modalidades de profissionais, como: médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, entre outros.

Dessa forma, é possível se concentrar nas demandas do paciente e a equipe tem por finalidade atender as necessidades globais do cliente, visando seu bem-estar.

Neste artigo, vamos falar sobre o Profissional de Psicologia e a prática psicológica em hospitais, como também a importância para o paciente, familiares e equipe de saúde. Acompanhe1

Objetivos da Prática Psicológica em hospitais

A prática psicológica em hospitais deve estar inserida de forma central no relacionamento entre ‘paciente, família e equipe de saúde’, pois o manejo técnico e o preparo psicológico contribui significativamente para o bom andamento do processo do paciente, além de auxiliar no suporte à família.

Dentre as principais competências exercidas por Psicólogos em hospitais estão:

  • Esclarecer sobre acontecimentos biológicos que provocam mudanças na vida das pessoas.
  • Informar causas e consequências ao paciente.
  • Contribuir para a adesão ao tratamento.
  • Auxiliar na adaptação à nova condição de saúde.
  • Ser facilitador em ações terapêuticas que desenvolvam a integração dos pacientes, como propiciar trocas de experiência entre pessoas que enfrentam situações semelhantes.
  • Contato com a equipe e paciente para esclarecer dúvidas.
  • Comunicar normas e rotinas.
  • Preparo Psicológico para situações excessivas.

Vale ressaltar que a prática psicológica em hospitais também afeta, positivamente, a atuação da equipe de saúde.

Isso porque a comunicação do profissional sobre os aspectos / percepções das demandas e circunstâncias do paciente está pautada em um saber científico específico, o que expressa a importância de um olhar às singularidades, contribuindo para ações humanizadas. 

Como consequência, seus pacientes poderão contar com atendimentos de alta qualidade e humanização!

“A psicologia hospitalar busca comprometer-se com questões ligadas a qualidade de vida dos usuários bem como dos profissionais de saúde, portanto, não se restringindo ao atendimento clínico mesmo este sendo uma prática universal dos psicólogos hospitalares”. (FOSSI, GUARESCHI, 2004, p. 34).

Intervenções Psicológicas

Uma das práticas psicológicas em hospitais é a intervenção do Psicólogo, que pode ser de apoio, orientação ou psicoterapia. As ações podem ser realizadas em grupos ou individualmente. Podemos destacar os seguintes objetivos no preparo psicológico:

  1. Avaliar o estado emocional do paciente;
  2. Reduzir ou prevenir perturbações mentais, como ansiedade patológica e depressão;
  3. Trabalhar vínculo mãe-bebê;
  4. Preparação para cirurgias;
  5. Auxiliar no enfrentamento de situações de morte e luto;
  6. Esclarecer dúvidas sobre o processo do tratamento;
  7. Garantir adesão ao tratamento;
  8. Preparar e auxiliar o paciente em um novo estilo de vida, devido à doença;
  9. Orientação e auxílio em casos de doenças graves.

Lidar com vidas não é uma tarefa fácil, as doenças físicas podem desencadear sérios danos psicológicos. Não somos preparados para situações inesperadas, como doenças graves, cirurgias ou até a morte de um ente querido. 

Por esse motivo, os processos mentais associados a episódios que trazem sentimentos de desprazer, desconforto, desajustamento e similares, podem provocar sérios traumas – o que implica dizer que o preparo psicológico é essencial!

O olhar da prática psicológica e as intervenções técnicas deste profissional estão pautadas em um foco para a singularidade. 

Isso significa que o psicólogo atende demandas diferenciadas, facilitando a compreensão e comunicação de situações de extrema angústia, como doenças graves, cirurgia ou luto.

Atuações do Psicólogo Hospitalar

Em resumo, podemos dizer que a atuação do Psicólogo Hospitalar está pautada no restabelecimento do estado de saúde mental, como também no auxílio das melhorias físicas e no preparo psicológico diante das situações enfrentadas. 

Além disso, sua atuação também está relacionada à comunicação do relacionamento paciente-equipe. Dentre as suas principais atuações, podemos destacar:

  • Assistência direta: atua diretamente com o paciente.
  • Auxílio e adaptação: contribuindo no processo de adaptação, aceitação e recuperação do paciente internado.
  • Função de coordenação: atividades com os funcionários da instituição.
  • Facilitador de comunicação: auxilia outros profissionais a se comunicarem com o paciente.
  • Gestão de recursos humanos: promove e aprimora os serviços dos profissionais de saúde.
  • Assistência à família: o psicólogo atua de forma efetiva no suporte às famílias em momentos de crise.

Como já dito anteriormente, falar sobre saúde é falar de um bem-estar integral, o que engloba diferentes particularidades de cada sujeito. O psicólogo também busca estabelecer um contato mais próximo com outras profissões, apoiando o olhar para humanização e contribuindo significativamente para a qualidade dos atendimentos da sua instituição.

Está na hora de investir em práticas psicológicas em hospitais

Você já deve ter entendido que, para a eficácia do desenvolvimento dos casos clínicos, é necessário um olhar para a subjetividade e demandas do paciente, estabelecendo um preparo psicológico adequado. 

Um bom tratamento está pautado em uma assistência que engloba o paciente em sua totalidade. A inserção do psicólogo no hospital gera qualidade, ampliando a promoção da saúde e a melhoria na qualidade dos atendimentos.

Condições adequadas, geram resultados satisfatórios. 

Preparar o paciente para uma cirurgia de risco, lidar com a morte ou luto, auxiliar na reabilitação de uma doença grave, enfrentar contextos inesperados ou episódios excessivos e, acima disso, lidar com singularidades não é uma tarefa fácil – isso tudo exige manejos técnicos específicos, o que compete ao Psicólogo.

Promover saúde não significa apenas a ausência de doenças físicas, mas o bem estar integral!

Espero que após ler este artigo, você possa ter compreendido o quão é importante a inserção da prática Psicológica no ambiente hospitalar!

Se ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, deixe um comentário e vamos esclarecer para você!

Gostou? Então compartilhe essa matéria

Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Siga a gente nas redes sociais

Mais conteúdos em

Você também vai gostar

Como diminuir os erros médicos: 4 estratégias e mudanças

Como usar as mídias sociais para hospitais? 3 dicas importantes!

Gerenciamento da Manutenção de equipamentos hospitalares: como fazer?

4 técnicas para realizar um controle de inventário hospitalar perfeito

Login/Logout